92,3% veem destruição de igrejas no Chile como ameaça direta aos cristãos


a enquete foi realizada pelo site Gospel prime

Enquete aponta que cristãos não têm dúvidas quanto a ameaça.

Ao menos 92,3% dos cristãos acreditam que os atos de vandalismo contra igrejas no Chile representam também uma ameaça direta contra o Cristianismo. Esse foi o resultado de uma enquete que questionou: “Os atos de vandalismo contra igrejas do Chile representam ameaça direta contra os cristãos?”.


A enquete foi realizada pelo Gospel Prime através do Twitter, por um período de 24 horas, recebendo 233 votos. Entre os participantes, 3,9% demonstraram não ter certeza, respondendo que “talvez, depende”. Enquanto que outros 3,9% disseram que “não, nenhuma ameaça”.


As duas igrejas que foram queimadas em Santiago, no Chile, no último domingo, 18 de outubro, ficaram completamente destruídas. Além dos templos religiosos, uma estação de metrô foi incendiada e uma delegacia foi atacada pelo grupo.



Com a repercussão, líderes evangélicos se manifestaram nas redes sociais criticando os atos apontados como “criminosos” e de “desrespeito”. O tema da cristofobia chegou a ser levantado por diversos líderes que comentaram o acontecimento.



Para o secretário-geral da Portas Abertas, Marcos Cruz, não é possível afirmar que a liberdade religiosa no Chile está ameaçada, mas ele admite que se isso se tornar recorrente, então poderá haver um incidente de perseguição religiosa no país latino-americano.


“Isso só não pode se tornar recorrente, pois daí, sim, teremos um incidente de perseguição religiosa sistemática, mas por isso devemos estar alertas e sempre contextualizar o momento. Se houver manifestações no Brasil ou qualquer outra país, que culmine em incêndios de igrejas ou outros patrimônios religiosos, teremos um ponto de atenção e de atuação da Portas Abertas”, alerta.


Créditos gospel Prime