Devocional " Pensemos em como motivar uns aos outros na prática do amor e das boas obras" Pr. Luiz Carlos

E não deixemos de nos reunir, como fazem alguns, mas encorajemo-nos mutuamente, sobretudo agora que o dia está próximo. Hb 10.24,25

Vivemos uma pandemia sem precedentes, não seria exagero afirmar que a humanidade não estava preparada para a tragédia que testemunhamos. Milhares de mortes diárias, centenas de milhares de famílias dilaceradas pela violência da morte, uma geração inteira abalada em seus alicerces mais fundamentais.
Os impactos são múltiplos e ainda impossíveis de serem plenamente rastreáveis. Analisar o presente é uma tarefa muito difícil, talvez séculos a frente, quando os analistas avaliarem esse tempo, serão destacadas questões que hoje nos passam desapercebidas.
Que sociedade é essa que já está nascendo? Não apenas a aspirada sociedade pós-pandemia, mas até mesmo a pandêmica que convivemos hoje.
Qual será o novo ordenamento social? Que nova moralidade é essa que experimentamos a partir do horizonte da peste que nos assola? Mais propriamente como um problema nosso, mas não menos importante, que nova igreja é essa que se estabelece no meio deste novo modelo social?
Não interessam-me os detalhes - convivência entre virtual e físico, horários, dias e locais etc -, penso que o mais importante é cultivarmos princípios, e aqui temos no Escritor aos Hebreus uma fonte de ricas orientações.
Nossos problemas são grandes, também porque são nossos, mas os contemporâneos do escritor bíblico também enfrentava seus graves problemas: perseguições, ataques, assassinatos. Porém, diante de tudo isso, a orientação bíblico é a manutenção da comunhão. Se há uma ameaça que nos assemelha aos nossos irmãos do primeiro século, esta define-se através do risco da dispersão.

Sim, os problemas são alarmantes e reais, entretanto, eles não podem separar-nos da comunhão uns com os outros. A estratégia do inferno é intimidar-nos e afastarmo-nos da comunhão com os santos, por isso, mais do que nunca, devemos valorizar nossa comunidade local, nossas amizades na igreja.

Neste tempo de tantas incertezas não se sinta sozinho, abandonado, isolado. Podemos até ficar fisicamente longe, porém, estamos aglomerados em amor, oração e carinho.
Não há distâncias entre nós, somos um só povo, uma só família, irmãs e irmãos. Não abandone a fé, a esperança, os relacionamentos. Nossa luta é grande, mas unidos, somos fortalecidos pela consciência do amor de Cristo derramado em nós e através de nós.
Viva em congregação e união com nossos irmãos !
Asssembleia de Deus 
TEMPLO CENTRAL

Pr Luiz carlos barros!