Conheça a história de João Jonas: O Apóstolo dos Sertões

Nascido na cidade de Budapeste, capital da Hungria em 1886, na Europa Central, João Jonas foi um evangelista, pastor e missionário pioneiro da igreja Assembleia de Deus no estado do Maranhão.
A capital do seu país, Hungria, no início do século XX era já uma grande cidade, pois em 1910 já possuía 882.000 habitantes. Mesmo assim ele saiu de sua terra natal em 1924, por alguns motivos familiares. O país estava também em muitas dificuldades políticas, econômicas e de segurança após a primeira guerra mundial, o que poderia ter motivado mais ainda João Jonas migrar procurando novos horizontes.
Ao sair da Hungria pelo mar, ele e mais alguns companheiros de viagem foram identificados como fugitivos ou desertores. Então, foram amarrados para serrem lançados ao mar. Todos os que haviam sidos amarrados junto com ele foram, de fato, jogados ao mar, quanto a João Jonas, um daqueles policiais, olhou para os demais e disse: “Vamos deixar este aí vivo, ele ainda é novo”.
Do período de sua saída da Hungria até sua chegada ao Brasil em 1932 não se sabe onde Jonas viveu.
Ele veio professando a fé ortodoxa grega, mas, ao chegar em Santa Isabel do Pará, entrou em contato com a Assembleia de Deus e aceitou a Jesus Cristo como seu Salvador. Após isso foi morar em Manaus no Amazonas e no interior do Estado foi batizado nas águas. O pastor José Bezerra Cavalcante reconhecendo sua chamada lhe concedeu-lhe uma autorização para pregar, e com esta, João Jonas se dirigiu ao Estado do Maranhão.
De Manaus a Belém viajou de canoa (sim, você leu “canoa”), e dali a São Luís foi viajou a pé (sim, você leu corretamente “a pé”).  A população maranhense enfrentava, naqueles dias, o terrível problema da epidemia da Hanseníase, mesmo assim ele não se intimidou.
Nessa época a Assembleia de Deus tinha somente dois únicos pastores em todo o Estado. O desejo de Jonas era apenas servir. Não trouxe consigo nenhum título eclesiástico. Com um só desejo na alma: anunciar Jesus e ganhar vidas para o Reino de Deus. Além disso, não havia nenhuma promessa de recompensa financeira.
Ao chegar em São Luís entrou em contato com o pastor Luiz Hygino que o encaminhou, em 1933, para o interior, na região Vila de Pedro II, atual município de Dom Pedro, para iniciar suas atividades missionarias.
Lindas e gloriosas histórias deste homem de DEUS foram pesquisadas e registradas pelo pastor Rayfran Batista, de Santa Inês – MA. Algumas delas citaremos aqui.
João Jonas falava praticamente 10 idiomas devido as muitas línguas existentes nos Bálcãs, vizinho ao seu país na Europa, por causa disto muitos não acreditavam que ele era batizado no Espirito Santo, mas, de fato, ele recebera este batismo.
Os relatos do pastor Rayfran Batista nos informam que:
“João Jonas vivia em uma comunhão tão intima com Deus, muitas vezes, ao orar por uma pessoa enferma, os familiares e conhecidos do doente já esperava uma decisão imediata: ou o doente era curado, ou, então, se não fosse o plano de Deus curá-lo, o Senhor Deus o recolheria para o descanso eterno logo após a oração de João Jonas.” (SILVA, 2013, p. 13)
“As vezes sentia o Espirito Santo lhe comunicando alguma alteração, ou alguma ameaça de prejuízo ao rebanho de Cristo, ele parava tudo, mudava a sua agenda e imediato, iniciava uma nova viagem com o objetivo de ajudar espiritualmente a quem precisava ser socorrido. Algumas vezes, era o chamado de uma pequena congregação; as vezes uma família ou mesmo uma única pessoa nova na fé que estava precisando de uma oração ou de um aconselhamento espiritual.” (SILVA, 2013, p. 15)
Em 1933, o pastor João Jonas se apresentou na nova região que fora enviado pelo ministério. No primeiro culto que realizou estavam com ele os auxiliares Francisco Assis Gomes (pai do pregador e pastor Geziel Gomes), Ludgéro Bispo e outros que se tornaram grandes pastores no Maranhão e em outras partes do Brasil. Isso aconteceu no povoado de Lagoa Nova, município de Pedreiras. Nesse culto três pessoas se entregaram a Cristo, entre as quais o pastor Alcebíades Pereira Vasconcellos (que se tornou pastor presidente das Assembleia de Deus no Brasil).
Em Dom Pedro, o trabalho progrediu sob direção de Joao Jonas, onde houvera cultos que teve total de aceitação de 40 pecadores. Que atingiu logo os municípios de Codó, Caxias, Colinas e Barra do Corda. Aqueles que ele ia ganhando, logo ele ia os treinando para o evangelismo e o ministério eclesiástico. (CONDE, 2000, p.86,87, apud SILVA, 2013, p. 29)

Devido a precariedade de transporte na época João teve que andar no lombo de burro, quando não a pé, 600 quilômetros, para visitar as 15 igrejas e suas muitas congregações em 12 municípios Maranhenses.
Em 15 de novembro de 1934 foi realizada em Coroatá a primeira convenção regional do estado do Maranhão, convenção hoje conhecida como CEADEMA (Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Estado do Maranhão), onde só estavam presentes dois pastores, dois diáconos e vários auxiliares. Onde foi eleito João Jonas, como primeiro evangelista e fundador de várias igrejas neste estado.
O município de São Pedro dos Crentes era conhecido apenas como São Pedro antes da chegada de João Jonas que evangelizou ali por um bom tempo, até que, quase toda a população desse local já era crente em Jesus e então adotaram esse nome ao município.
No Maranhão Jonas, direta ou indiretamente ajudou a evangelizar 50 cidades. Codó, Carolina, Cantanhede, Grajaú, Imperatriz e São Luís são apenas algumas delas. O pioneiro não trabalhou apenas no Estado do Maranhão, viajou para ao Piauí, Bahia e também ao atual Tocantins, ganhou almas e fundou trabalhos nestes locais.
O pastor João Jonas tinha um conhecimento dado pelo Espirito de Deus, de quem seria um bom obreiro para a obra do Senhor. Em todos os registros qual ele escolheu alguém para o ministério, o escolhido deu bons frutos.
Os Dons Espirituais na vida deste homem de DEUS eram nítidos: profecias, revelações, visões, sonhos, curas divinas, discernimentos, maravilhas, fé, todos estes sinais estavam presentes em sua vida.
As vezes João tinha a revelação de algumas pessoas, quando pensavam algo mau, estava em pecado, ou, blasfemavam de DEUS perto de João. Então ele as repreendia e se DEUS mandasse as consolava depois. Certa vez ele profetizou que um povoado chamado Miritiba, qual havia várias pessoas morando, um dia se tornaria deserto e só haveria capim para gados.  Acontece que, atualmente, este local nada mais é que fazendas onde gado passeia. No dia de sua morte, no povoado de Cabeceira Bonita, João Jonas ele proferiu as seguintes palavras: “Hoje eu vou para o céu e daqui a 30 anos o pastor Tibúrcio vai também”. E assim aconteceu exatamente como falara.
Outros relatos dizem que João Jonas sempre orava chorando, tinha preocupação com a ordem no culto, e sempre que orava para as pessoas receberem o batismo no espirito Santo e sempre alguém, ou, até todos os presentes eram batizados.
Tinha um desejo ardente de alcançar um número cada vez maior de almas para Cristo. Orava muito e se preocupava com a santidade dos irmãos, fazia visitas incessantemente.
Ele enfrentava muitos obstáculos pelo caminho. Não havia estradas pavimentadas entre as cidades que percorria para auxiliar as igrejas. Neste tempo também o único meio de transporte disponível nestas regiões era a pés ou montado em animais. Isso misturado as fortes chuvas, os insetos que transmitiam doenças, os animais selvagens nas estradas e ainda algumas pessoas que acreditava que os crentes eram uma ameaça. Além disso ainda tinha espiões do governo que o perseguiam por ele ser estrangeiro europeu, imaginando que ele era alemão nazista. Tudo isto tornava mais difícil o exercício da obra missionaria de Jonas.
Mesmo sendo rico em sua terra natal, pois tinha duas fazendas na Hungria e negócios em Berlim, e também a mulher (que infelizmente o traiu) e dois filhos que deixara com ela. Ele deixou tudo para trás e se entregou a obra do Senhor incessantemente. Evangelizando onde ninguém havia ido pregar, abrindo congregações e igrejas, consagrando auxiliares e pastores que se tornaram referência no cenário cristão e etc.
Ainda há muitos testemunhos incríveis quais não estão citados neste texto. Mais aconselho todos a adquirir sua biografia para deleitar-se nas histórias sobrenaturais que aconteceram na vida deste servo do Senhor.
João Jonas foi um valente do evangelho que inspirou e vai continuar inspirando cristãos até a vinda de Jesus Cristo!

Nascimento / Falecimento:
 1886
 1965

Influenciou / Foi influenciado:
·   Alcebíades Pereira de Vasconcelos
·   Clímaco Bueno Aza
·   Estevam Ângelo de Souza
·   Emílio Conde
·   Francisco Assis Gomes

FONTES: via empacto Pentecostal,
SILVA,  Rayfran Batista da. João Jonas: o apóstolo dos sertões. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2013.
COMPARTILHAR:

+1