Igreja na Coreia do Sul que não cancelou cultos está ligada à dezenas de casos de coronavírus

Pastor da River of Grace Community Church é um dos infectados.

A River of Grace Community Church [Igreja Comunidade Rio de Graça] decidiu não cancelar os cultos de domingo em seu templo em Seongnam, na Coreia do Sul, apesar dos pedidos das autoridades locais. O resultado? 49 dos membros da igreja testaram positivo para o novo coronavírus, Covid-19.

O mais surpreendente é que o pastor e sua esposa já estavam infectados desde a semana passada. Ainda assim, decidiram manter as reuniões em pleno funcionamento.



De acordo com a agência de notícias sul-coreana Yonhap News, as autoridades locais estão realizando testes em todos os 135 fiéis da igreja que assistiram aos cultos de 1 e 8 de março. A igreja de Seongnam se tornou o segundo maior grupo de infecções do vírus chinês na área da capital.

No Brasil, a discussão sobre cancelamento de cultos e reuniões ainda persiste. Sendo a Assembleia de Deus Vitória em Cristo (Advec), liderada pelo pastor Silas Malafaia e a Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), liderada pelo bispo Edir Macedo, as mais resistentes ao chamado das autoridades.

Nas redes sociais, Malafaia tem travado uma “guerra” contra as críticas que tem recebido pela insistência em manter os cultos ativos. Para ele, “a igreja é o último reduto de fé e esperança quando todas as portas se fecham”.

O líder da Advec afirma que só a Justiça tem poder para fechar os templos evangélicos – apesar de as autoridades pedirem os cancelamentos de cultos e reuniões, e critica o que chama de “profetas do caos”.

“Na Bíblia, os profetas repreendiam as pragas. Hoje, eles fecham as igrejas e vão para as redes sociais atacar a igreja que tá aberta”, afirmou Malafaia, em pregação. Em seu Twitter, ele divulgou “Culto da Vitória” para hoje (19) na Advec da Penha.


Créditos Gospel prime