Artigo: O DOM DA SOLTEIRICE , por Fracielio de Freitas

Por Fracielio de Freitas
#Diáriopentecostal
Jamais, sob hipótese alguma, zombe de quem já alcançou uma certa idade, mas continua solteiro (a): não sabemos com toda precisão a história de vida dessa pessoa, seus motivos, expectativas, frustrações, objetivos, prioridades, estrutura interna, vocação etc. Outra coisa, considere que alguns receberam o dom especial do celibato, e que tais pessoas, assim como o apóstolo Paulo, 1 Co 7, não sofrem na mente a opressão sexual que a maioria sofre, nem tampouco sentem uma necessidade insuportável de conviver com alguém em um relacionamento amoroso.

Para a cultura moderna, é no mínimo suspeito alguém em idade de se relacionar, mas que vive na solteirice. Não podemos, como cristãos, admitir suspeita alguma sobre a vida alheia, isso só machuca as pessoas e as deixa em situação de coerção ou de querer procurar alguém só para dar satisfação aos outros.

O casamento é algo lindo e criado por Deus, mas a solteirice é algo também bíblico e dado por Deus a algumas pessoas, respeitemos isso. 

Quando a bíblia diz que não é bom que o ser humano esteja só, ela não está insinuando que todos devem casar, o contexto ali é mais amplo quando colocado dentro da teologia bíblica, na verdade fala da importância de construir relacionamentos sociais, algo que pode ser feito hoje tranquilamente independente da vida conjugal.

Houve um tempo em que eu quis por minhas próprias forças, e talvez movido por decepções amorosas, viver como solteiro. Meu propósito maior era poder se dedicar totalmente a obra de Deus sem precisar me ocupar com outra coisa. Mas não foi muito difícil descobrir que eu não tinha o dom especial do celibato, eu sempre gostei e sentia uma forte atração por mulher e sentia uma grande necessidade de casar. Mas se alguém, embora possa sentir alguma atração pelo sexo oposto, consegue lidar com essa atração com tranquilidade e não se sente em nada oprimido e subjugado por ela, é provável que o dom do celibato esteja se firmando em sua vida.